Em destaque

É proibido fumarÉ proibido fumar Imaginem o cenário: sábado a noite. Vila Madalena, o bairro dos bares de São Paulo. Pub, lugar direcionado para consumo de bebidas. Imaginaram? Pois bem, agora acrescentem o seguinte detalhe à cena: ninguém está fumando!

Leia mais...

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

21
É proibido fumar... diz o aviso que eu li!

nota: esse post é genérico. pode ser que você não se identifique com ele. não se sinta ofendido, mas estou citando uma maioria aqui e, literalmente, generalizando, para não precisar escrever "alguns", "quase todos" ou "a maioria" na frente das frases sempre. fica o recado! ;)


Imaginem o cenário: sábado a noite. Vila Madalena, o bairro dos bares de São Paulo. Pub, lugar direcionado para consumo de bebidas. Três áreas diferentes no Pub: um com um bar, outro com uma banda e um putsputsputs de fundo, e o terceiro com mesas, decoração de esportes e um lugar para jogar sinuca. Imaginaram? Pois bem, agora acrescentem o seguinte detalhe à cena: ninguém está fumando!

Outro cenário: pequeno escritório em São Paulo. Pessoas trabalhando. Telefones tocando. Impressoras comendo papel. Imaginaram? Pois bem, agora acrescentem o seguinte detalhe à cena: tem gente fumando!


Esses dois cenários, fizeram, de uma forma muito estranha, parte da minha vida na última semana. Uma semana depois da Lei Anti Fumo entrar em vigor em São Paulo, fui em um Pub na Vila Madalena, com aquela curiosidade de saber se a lei estava realmente sendo levada a sério. Qual foi minha surpresa ao perceber que, além das inúmeras placas indicando que era proibido fumar naquele local, ninguém tinha cigarro nas mãos, na boca ou em qualquer outro lugar. Em compensação, convivo todos os dias com pessoas que, literalmente, estão nem aí se atualmente é proibido fumar.

Costumo dizer que o grande problema da humanidade é o egoísmo. Se as pessoas parassem de pensar nelas mesmas e se preocupassem, nem que fosse um pouco, com o bem estar do próximo, muitas brigas, mortes e doenças nem existiriam. E uma das coisas que mais me irrita em fumante é esse egoismo. Não importa quem está do lado, não importa quem está na frente, o importante é a necessidade de se acender o cigarro.



Desde que saiu a lei anti fumo, antes mesmo dela entrar em vigor, acompanhei matérias, posts e comentários a respeito. Quem é contrário, cisma na tecla de que a lei fere a liberdade e os direitos dos fumantes. Vamos analisar esse fato?

Primeiramente, a lei não proibe o cigarro. Quer fumar? Ainda pode. Fume na sua casa ou na rua. Quer coisa mais simples? Não entendo porque a liberdade e o direito de alguém de respirar um ar saudável deve ser contraposto pela liberdade e direito de alguém estragar sua saúde. Por que é educado acender um cigarro em meio a não fumantes e é falta de educação pedir para que alguém o apague? Por que é legal liberar o fumo em qualquer lugar e é contra lei querer respirar um ar livre de substâncias cancerígenas?



Certa vez, depois de fazer um exame de sangue, minha médica me disse que se eu quisesse me matar, bastaria acender um cigarro. Tenho rinite atacada, tendencia a sinusite, bronco espamo e uma tal sindrome que me faz ter uma alergia absurda de cigarro, a ponto de poder me matar um dia. Ou seja, cigarro é mais letal para mim do que um vírus de gripe suína. Em contrapartida, convivo com fumantes desde que nasci. Minha mãe fumou até eu ter uns 11 anos. Minha vó fumou até sofrer dois derrames. Quase todos os meus amigos de faculdade fumavam, a ponto de minha amiga me batizar de "aspirador" - de tanta fumaça que eu aspirava. Mas o pior veio há um ano: trabalho em um lugar onde todos da minha sala fumam.

Nesse último ano venho sentindo minha respiração mais falhada. Não fico um único dia sem tossir ou sem ter que limpar o nariz a cada meia hora. Quando passo adstringente no rosto, no final do dia, o algodão sai preto. Da cor do meu notebook. No último mês intensificaram-se minhas faltas de ar. Por quê? Porque, passivamente, devo fumar uns 10 cigarros por dia. No mínimo. Todos sabem que não posso com cigarro, mas no que isso muda a atitude dos outros? Em nada. O cigarro já foi colocado em pauta diversas vezes no trabalho, e as justificativas são as mesmas: "vou morrer de qualquer jeito", "cigarro só faz mal para mim", "o vício é meu e paro se eu quiser", "não ligo se alguém fumar do meu lado".

E é aí que mora o egoísmo. Afinal, não estamos falando de alguém viciado em café ou chocolate, cujo vício interfere nele e somente nele. Estamos falando de uma droga que atrapalha a vida de todos que está ao redor. Ao fumar um cigarro, você não coloca em risco apenas a sua saúde, mas também a saúde daquele que está próximo a você. E ainda, de um modo pior: já que a pessoa não tem um filtro na boca e nem o prazer que você sente ao inalar essa fumaça.


A lei serve apenas para que todos possam viver em harmonia. Para que não fumantes possam jantar sossegados sem se preocuparem com a fumaça vindo do outro lado do restaurante. Para que todos possam sair a noite sem se preocuparem com a fumaça impregnando suas roupas, cabelo e pulmões. E de um modo um tanto quanto obsoleto, ajuda os fumantes a diminuirem seus cigarros. Afinal, todo mundo consegue ficar duas horas no cinema sem fumar, certo? Meia hora dentro do metrô sem acender um cigarro. Uma hora em uma consulta médica. Então, por que não ficar sem fumar no trabalho, balada ou restaurante?


Lógico que algumas coisas podem ser mudadas: baladas e bares podem fazer áreas externas, sem paredes ou toldos, cujo ar não interfira nos demais e onde fumantes possam dar suas baforadas em paz. Não seria um fumódromo, como a lei proibe, mas um lugar livre, como a lei permite. Mas no ambiente interno, tudo continua como está. Porque, garanto, não há nada melhor do que poder sair para se divertir com os amigos, enxergar as mesas e as pessoas sem interferencia do cigarro, poder rir a vontade sem se preocupar em respirar fundo e inalar fumaça, e voltar para casa apenas com lembranças na memória, e não nas roupas ou cabelos.

Aos poucos a lei está invadindo os outros estados, e fico feliz com isso. Espero que o Brasil consiga mostrar que é sim, um país civilizado, e sabe respeitar o direito de todos de manter seus pulmões limpos. Afinal, quer fumar? Fume. Mas bem longe de mim. Não sou obrigada a fumar junto. E cada um no seu quadrado, porque, finalmente, o meu está sendo respeitado!


21 comentários:

betinha disse...

concordo plenamente com tudo!!!

Mamis disse...

Eu sou fumante.

Aqui em BH já muito tempo já não se fuma em local público, tem área para fumantes e área para não fumantes. Acho que agora não tem mais área de fumante. Onde eu trabalho tem fumódromo. Eu não me sinto ofendida por palavras contra a fumo, eu não quero que meus filhos fumem, não quero que sejam ignorantes como a mãe, mas sabe o que me deixa louca? Não proibem a bebida álcoolica que mata tantas pessoas no trânsito, não falam dos males da bebida alcoólica. Não dizem que a pessoa se torna muitas vezes um monstro depois de beber e bate na mulher, nos filhos, nos amigos. A bebida muda quase que a personalidade de algumas pessoas.
Quem fuma pode morrer de câncer, mas e quem bebe? Porque tantos aplaudem a bebida? Porque ela só mata a quem a ingere, deve ser isso, esquecem das famílias que morrem junto. Fumar, beber, tudo uma merda, né? bhs

Tania Reis disse...

Oi, Muito prazer!!!!
Recebi o convite lá na Moita para vir aqui e A-D-O-R-E-I!!!!
Trabalho com dependência química e achei o Post muito bom, ótimo para dizer a verdade!bastante informativo junto com seu depoimento fantástico!!! Continue assim e um grande beijo no coração.

Tania Reis

Elis (Coisas de Lily) disse...

Apoiadíssima!!!!
Quero muito que a lei chegue aqui no RJ.
Acho que lei veio mesmo como o último golpe, porque educar já não tava adiantando.
Lembra-se do tempo (esqueci que vc é baby) que as pessoas andavam sem cinto de segurança por pura falta de costume?? Foi só as multas começarem a chegar depois da lei que obrigava o uso, que todo mundo não sai mais sem cinto.

Vc escreve muito bem Aninha, lembre-se de mandar um oi pra mim, quando vc estiver no Profissão Repórter.
bjs!

Fernanda Reali disse...

Esse post precisa ser divulgado. É útil e bem escrito.

Além de todos os malefícios citados, esqueceste de citar um que me afeta terrivelmente: o cheiro horrível que fica nos cabelos.

Se alguém fumar perto de mim, nem vou lembrar que está deteriorando meus pulmões, mas logo lembro que meu bom xampu cheiroso irá para o espaço!

Bjs

Patrícia disse...

Aninha outro dia vi uma reportagem mto bacana, mas não lembro onde foi... Tão deixando de fumar em ambientes fechados, porém o povo esquece de levar cinzeiro pra rua e os canteiros estão bem mais poluídos, as pessoas fumam e jogam as piúbas no chão. Agora q tdos entenderam q não pode fumar em local fechado, deveria haver uma campanha pra conscientizar os fumantes a recolherem suas piúbas e jogarem no lixo.

Mari disse...

Hmmm... concordo em parte. Ok, sou fumante rs. E fumante do bem, do tipo que, quando fuma em ponto de ônibus, fica em um local isolado tomando conta da direção do vento pra fumaça não incomodar os outros. Logo, aceito que quem não fuma não tem que fumar o cigarro dos outros.
Maaaaaas... o problema que a lei não leva em consideração é que fumar não é uma questão de opção ou egoísmo. Começa-se a fumar por opção, sim, mas continua-se por vício. É verdade que cigarro é droga, e nunca tive isso tão claro como na vez em que tentei parar de fumar. Mas e aí? Vamos simplesmente proibir e não oferecer tratamento? Dizem por aí que é mais fácil largar a heroína que o cigarro. Sobre as piúbas (imagino que seja bituca aqui no Rio rs), outro dia ouvi no Jornal Nacional que, em um maço com 20 cigarros, apenas 3 representam o lucro dos vendedores e fabricantes... Os outros 17 vão em impostos. Pois bem, se o governo tá lucrando tanto com isso, então que providencie tratamento e coloque cinzeiros públicos pra galera!
Também concordo com a Mamis quando menciona a bebida. Àlcool é aceito porque não fede, mas também vicia, também afeta os jovens, altera o comportamento e provoca acidentes em que morrem pessoas que optaram por não beber. Vamos proibir o álcool também? Não, porque aí entram na briga os bares, restaurantes, e mais a turma toda que lucra com isso.
Em resumo, sou contra a lei, sim. Como tudo no Brasil, ela coibe as conseqüencias sem oferecer soluções e sem atacar as causas. Se quisessem um povo saudável, fariam um trabalho intenso de conscientização dos jovens e ofereceriam soluções para os viciados. Quem fuma sabe que cigarro faz mal, e não vai ser umas fotos na contracapa do cigarro que vai nos fazer parar de fumar.
Beijooo

Aninha disse...

Obrigada Betinha :D

Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Mamis e Mari, vou responder o das duas em um só porque são meio parecidos, ok? haha

Bom, vou ser sincera, pensei em citar a bebida no texto porque sempre alguém compara o cigarro com a bebida na hora de defender os fumantes. Não acho que a comparação valha. Sim, bebida faz mal, também é droga. Concordo plenamente. Assim como não fumo e detesto cigarro, não bebo e detesto bebado. Quer beber socialmente, beber por que curte o gosto? Beba, mas saiba onde parar. Assim como é horrivel sair e voltar pra casa com cheiro de cigarro, é horrivel voltar com cheiro de bebida porque algum bebado não conseguiu nem ter equilibrio do próprio copo. Assim como é horrivel ter que desviar de fumaça de cigarro e procurar um ar puro, é horrivel ter que desviar de bebado.

Mas vamos combinar que o cigarro prejudica sim mais do que a bebida. Porque cigarro é fumado o dia todo, em qualquer ambiente, prejudicando o tempo todo quem está por perto. Bebida, em sua maioria, é consumida a noite, na maior parte do tempo não prejudica diretamente quem está em volta. Prejudica quando algum idiota enxe a cara e ainda pega o carro ou arranja briga. Mas para isso, fizeram a lei seca. Não são todos que respeitam, mas ajuda a assustar. E bem ou mal, o alcool mata muito, mas o cigarro ainda está ganhando.

Mesmo assim não acho que um problema/vício justifica o outro. Não é porque as pessoas ainda bebem que todos tem que fumar em qualquer lugar. É esse tipo de argumento que entra naquilo que falei do egoismo. "O outro ainda erra então não vou concertar meu erro".

Quanto conscientizar os jovens, não creio que seja possível. Escola e faculdade costuma alertar sobre os maleficios de bebida e cigarro, mas esse tipo de educação costuma funcionar mais em casa. Na prática, esse tipo de coisa só funciona a base da proibição, da multa, como bem comparou a Elis com o cinto de segurança. Enquanto não pesar no bolso, enquanto não for proibido, discriminado, as pessoas não tomam consciencia. Infelizmente.

Bom, falei de mais, talvez ainda faltem mais coisas, mas achooo que consegui me explicar. haha! Ainda gosto de vocês e curto quando um assunto vira discussão ;) hahaha

Beeeeeeijos!

Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Oii Tania!

Muitissimo obrigada! Mesmo!

E parabens pelo seu trabalho, força aí para continuar ajudando os outros!

Beeeijos!

Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Ahh Mamis e Mari, faltou uma coisa! haha

Entre os preceitos da nova lei, está que o governo/prefeitura deve oferecer tratamento gratuito para que as pessoas larguem a dependencia. Não sei se isso já está funcionando, pois li algumas reportagens de gente reclamando que tem fila. Mas acho que com o tempo isso vai ser melhor organizado.


E olha, minha mãe largou o cigarro, de livre e espontanea vontade e pressão da familia. Rs. Mas colocou na cabeça um dia, depois de 20 anos fumando, que iria parar, e parou. Foi dificil, mas foi preciso muita força de vontade. Tipo, MUITA. Ela não tomou remédio, buscou ajuda no centro espirita que frequenta e nela mesma. Foi dificil para ela, mas graças a Deus já se passaram 11 anos e ela está livre do vício! ;)

Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Elis, poxa, eu lembro sim de quando o cinto passou a ser obrigatório e das pessoas reclamando! Tenho memória! hahahaha

Minha mãe fez a mesma comparação, que assim como no começo as pessoas reclamavam mas agora não saem sem cinto, agora reclamam, mas logo se acostumarão a só fumarem em casa ou na rua! Tomara ;)

E obrigada pelo comment haha

Beeeijos!

Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Feeee, obrigada! :)


Eu falei sobre o cabelo sim haha mas ainda o que mais me incomoda é o pulmão, porque de boa, acho muita sacanagem eu cuidar da minha saúde, fazer tudo certo, e correr um enorme risco de ter um cancer no pulmão por causa dos outros!


E graaaacias pelo apoio! :)

Beeeeijos,
Aninha@caimuitachuva

Aninha disse...

Patricia, esse é um ponto que esqueci de citar, mas que vai para parte do egoísmo. Porque, quando a galera começou a reclamar das bitucas de cigarro no chão, o G1 entrevistou alguns fumantes na Paulista, que derem depoimentos do tipo "ah, já que obrigaram a gente a fumar aqui fora, a bituca tem que ir pro chão, para as plantas". COMO ASSIM? Leva um cinzeiro! O pessoal que fez faculdade comigo que fumava, sempre tinha as mãos uns tubinhos que pareciam tubos de ensaio, mas que aparentemente distribuiam em baladas para não jogarem cigarro no chão. É uma solução. Por que não se preocupar com o meio ambiente, com os outros? Depois não adianta reclamar quando as cigarraiada entupir os bueiros e a água alagar tudo em uma chuva.


Beeeijos

Aninha@caimuitachuva

Sweet disse...

Bom, eu tenho concordado com as leis, mas as vezes tenho dúvidas...
Sou fumante, e totalmente compreendo que os não fumantes devam ser respeitados em ambientes fechados (e abertos tb)...mas às vezes penso que é complicado.
Aqui no Rio, por exemplo, a grande maioria dos bares não tem área aberta ou varandas, e aí fica bem difícil. E se colocarem mesas nas calçadas, vem o " choque de ordem" ...
Se a pessoa quer fumar, tem que sair e ir pra rua, mas e se o lugar não permite que o cliente saia (sem ter pago a conta) pra fumar? Como faz?
Te digo como eu e meus amigos temos feito: nós paramos de sair! sim, a idéia agora é ficar em casa bebendo e conversando, e aí fumar à vontade... Mas acho que se muita gente pensar assim, os caras vão ter um baita prejuízo. E convenhamos, um fumante aguentar ficar 3/4 horas num ambiente sem poder fumar e sem poder sair pra fumar é improbabilíssimo...
Com relação às bitucas, concordo que é falta de educação, mas a verdade é que não há cinzeiros à disposição nas ruas... Eu, pessoalmente, tento procurar as lixeiras e jogar, mas quando ela é toda de plástico, não dá! Vou causar um incêndio!!!
Verdade que na maioria das vezes a gente nem se liga mesmo e joga no chão... se os bares, restaurante e lojas disponibilizassem cinzeiros nas portas, ia ser muito melhor...

Mamis disse...

Aninha,

perdoe-me por discordar. A bebida provoca cirrose hepática e é uma doença silenciosa, seus efeitos aparecem depois, assim como o câncer. Tem mais, a pessoa que bebe muda de personalidade, quem fuma não muda. Quando se bebe perde o reflexo, fumando isso não acontece. Agora, não adianta discutirmos a diferença dos dois porque os dois são uma merda mesmo!

Só não me leve à mal, eu estou brincando, me divertindo com o tema, só isso, nada mais, ok?

Mamis disse...

E Aninha, tem quem beba o dia inteiro, e eu posso fumar 50 cigarros que fico de boa, mas tem gente que só um copo de bebida e pronto, a merda foi feita. Mas..., vamos nos divertir, ok? beijos.

Anônimo disse...

Aninha, tô contigo... também ODEIO cigarro e ADOREI a lei q proíbe de se fumar em ambientes fechados...
Tenho rinite alérgica, além de sinusite, faringite e laringite (faltou algum "ite"??), e um nariz q "capta" o cheiro de cigarro de looooonge e ficava P da vida com a falta de respeito dos fumantes à nós, NÃO FUMANTES, temos todo o direito de ir e vir, sem fedor nas roupas, cabelos, pele... quem quiser fumar q vá se matar sózinho... não precisa de "passivos" como companhia.
Mamãe morreu aos 47 anos de enfisema pulmonar, fumava desde os 12, papai fumou 42 anos, parou do dia prá noite (depois de ter uma crise asmática q quase o matou), meu ex-marido fumou 30 anos e também parou (depois de ter um ameaço de enfarte), meu cunhado fumou por mais de 40 anos (parou por estar com problemas de pressão alta)... digo sempre a uma amiga fumante que os melhores remédios prá parar de fumar são: OPINIÃO e VERGONHA NA CARA... e claro MUITA vontade de continuar vivo.
Os fumantes aqui presentes já fizeram as contas da "economia" que teriam ao largar o fumo??? Além claro dos incontáveis bens prá saúde própria e dos familiares???
Digo sempre q mamãe deve estar feliz onde quer que esteja pq os filhos dela (somos 3) JAMAIS fumaram na vida... infelizmente o exemplo nos serviu.
Bjs. Até. Sel

BECA disse...

Oi Aninha. Adorei o post. Adoro quando vc escreve aqui porque os textos são maiores e eu adoro os bem grandes. Mas vc escreve pouco aqui, ... Bom, referente ao conteúdo, muito bem escrito, concordo. Tbém acho horrível sair de uma festa ou um barzinho fedendo a cigarro. Mas eu fumo. Entretanto, aqui em casa eu fumo sempre na garagem por causa das criancas e do marido que não fuma. Quero muito parar, será que não existe um milagre?? Ai, sou muito ansiosa, por isso que até fico uns 2 dias sem fumar, mas é só ficar nervosa com algo, na espectativa que não aguento. Quero ver, se depois que eu emagracer o que pretendo, eu procuro um médico pra ver se tem algum remédio que me ajude. O pior é que curto, deveriam inventar um cigarro que não solte nada poluente e ao mesmo tempo, acabe com o vício. Bj. aparece lá no blog!!

bolsademulherblog disse...

Olá!
Quem me recomendou seu blog foi a Fernanda Reali. É que esta semana eu tratei desse mesmo tema lá no Bolsa de Mulher. A falta de educação e bom senso é enorme seja entre fumantes e não fumantes. Passa lá para dar uma olhada e se gostar e quiser ajudar a divulgar a promoção do BOta Bituca te agradeço.
Abraço. Parabéns pelo post e sucesso!
Márcia

Carla C disse...

Oi Aninha,
Leio seus blogs"todos os dias". AMO. Parabéns!
Concordo com tudo o que você disse sobre essa lei sobre o cigarro. Tenho Asma e rinite e só quem tem sabe como nos sentimos em contato com a fumaça em ambientes fechados.
Também sou ex-fumante e sei que com Muuita força de vontade dá sim para largar o vício...
Beijo grande para você!