Em destaque

É proibido fumarÉ proibido fumar Imaginem o cenário: sábado a noite. Vila Madalena, o bairro dos bares de São Paulo. Pub, lugar direcionado para consumo de bebidas. Imaginaram? Pois bem, agora acrescentem o seguinte detalhe à cena: ninguém está fumando!

Leia mais...

terça-feira, 28 de julho de 2009

6
Quem é o pai?



A morte de Michael Jackson gerou inúmeras discussões. Apesar de já fazer mais de um mês da passagem de Michael para o outro plano, ele continua sendo manchete em jornais, revistas e sites, com portais que não sobrevivem meia hora sem dar alguma "notícia" sobre o Rei do Pop. É nessas horas que você começa a analisar se diploma faz diferença ou não. Considere o fato que muitos portais de internet utilizam estagiários para postarem notícias sobre celebridades. Una agora ao fato de muitos portais estarem pautando suas notas em tablóides e jornais de fofocas estrangeiros, afirmando serem essas fontes veridicas e irrefutaveis. Seria algo como creditar ao Nelson Rubens alguma credibilidade. Essa situação poderia ser ignorada, se não fosse o detalhe de algumas emissoras, que aspiram por serem a primeira no ibope do Brasil, utilizarem esses mesmos tabloides como fontes confiáveis. E não se referirem aos mesmos como tablóides ou explicarem a seus telespectadores que a confiabilidade desse tipo de fonte não é lá muito alta. Mas enfim, ficam aí os fatos para vocês julgarem.

O que me espanta no meio de tanta "notícia" sobre Michael Jackson é uma tecla que vem sido insistentemente batida: quem são os pais dos filhos de MJ? Nessa hora, eu automaticamente penso: "Ora essa, Michael Jackson!". Afinal, que diferença faz de quem veio o esperma para conceber as crianças? Pai é quem faz ou quem cria?



Vou ser bem sincera, nunca passou pela minha cabeça questionar se a paternidade de Prince, Paris e Blanket deveria ser realmente atribuida a Michael Jackson. Alias, nunca nem liguei o fato dos filhos serem brancos e Michael negro, argumento que muitos usaram para questionar se MJ é ou não pai das crianças. Mas esse argumento fica um pouco fraco quando vejo que trabalho com uma menina loira, mais branca do que eu, cujo o pai é mais negro do que Michael Jackson algum dia chegou a ser. E quando vejo também que o filho caçula de Michael, Blanket, é a cara do pai.



Independente de qualquer coisa, fico aqui pensando: que diferença faz quem é o pai biológico? Tenho dois primos adotados. Um tem 24 anos e a outra 16. São irmãos. Minha tia não podia engravidar e se casou com meu tio que, por coincidência, também não podia ter filhos. Meu primo foi adotado com 5 dias de vida, e minha prima com 4 anos. Não sei se a caçula sabe que é adotada, mas o mais velho sabe, e é muito grato aos meus tios por esses terem escolhido ser seus pais. Meus tios deram carinho, amor, educação, alimento, afeto, casa, comida, roupa lavada e ensino da melhor qualidade. Trataram, e ainda tratam, meus primos igual ou até melhor do que muito pai biológico. Se algum dia algum pai de algum dos meus primos decidir lembrar que um dia gerou uma vida, e resolver lutar por eles (desconsiderando que o mais velho já é maior de idade), eles conseguiriam um resultado positivo? Faria diferença para um juiz o fato deles serem pais biológicos frente toda a vida de cuidados que meus tios proporcionaram aos meus primos? Então por que raios se discute tanto a paternidade dos filhos de Michael Jackson?



Michael sempre procurou proteger os filhos dos holofotes e proporcionar a eles uma vida, na medida do possível para filhos da maior celebridade do mundo, normal. Quem era fã já sabia, mas quem não acompanhava, pode ver pós-morte de MJ videos e fotos dos cuidados de Jackson com seus filhos. No funeral do astro, todos puderam presenciar e se emocionar com a pequena Paris, declarando ao mundo seu amor pelo pai. Tem que ter um coração absurdamente duro para achar que uma menina de 11 anos ensaiou tudo aquilo para sensibilizar o público. Quem estava prestando atenção nos filhos de Michael durante as homenagens, pode ver que Paris falava muito com Janet Jackson, supostamente pedindo autorização para falar. Quando a pequena Michael se aproximou do microfone, os irmãos do astro acreditavam que quem falaria era Janet, e não Paris. Então por que ainda tem gente que diz que a menina foi forçada pelos tios a falar?



Tenho dó dessas crianças pela quantidade de pessoas que as tratarão como um produto, sem se preocuparem com seus sentimentos, apenas atras do dinheiro que essas irão herdar do pai. No próximo dia 3 a justiça americana decide quem ficará com a guarda dos rebentos de Michael. Depois de tanta gente afirmar ser pai dos mais velhos, depois de mulheres afirmarem ser mãe do mais novo, depois da mãe oficial dos mais velhos querer a guarda das crianças de volta - após ter praticamente vendido seus filhos -, depois do patriarca da família Jackson declarar que quer lançar os pequenos filhos de Michael como "Jackson 3", espero que a justiça saiba bem o que vai fazer. Janet, irmã mais próxima de Michael e a que claramente tem mais intimidade com as crianças, já declarou que gostaria de cuidar dos sobrinhos. A irmã mais velha de Michael também já demonstrou interesse. Só espero que, na medida do possível, essas crianças possam crescer de forma saudavel, perto de pessoas que as ame, e não ame seu dinheiro, e tenham uma vida mais feliz do que o pai. Espero que estejam alheia a todo esse circo que se armou em volta da paternidade delas, e que continuem a admirar o pai que tiveram e que viveu seus últimos anos de vida em função delas. Afinal, pai não é quem faz, é quem cria.


6 comentários:

Anônimo disse...

Oiiiiiiiiiii

é um depoimento, EU FUI ADOTADA, sempre soube e com o passar dos anos FIQUEI PARECIDA com meu PAI,tenho fotos de meu Pai biologico [faleceu quando eu tinha 1 ano]sempre tive DIFICULDADE em falar do biologico como Pai me referia a ele pelo nome...os amigos de meu PAI sempre me acharam parecida com ele...era um amor VERDADEIRO, ele me deu tudo na vida AMOR...EDUCAÇÃO...CASA...

Fernanda Reali disse...

Na minha família, tem 4 casos de adoçao bem sucedidas. Minha tia é mais parecida com o filho adotivo do que com o biológico (cor dos olhos, cabelos, pele, tu-do).

Óbvio que pai é quem acolhe, é quem cria, por isso MJ é o pai.

A dúvida que eu fiquei é se os filhos do velório são os filhos mesmo ou fake, pois estão muito diferentes das crianças mostradas no documentário do GNT, quando MJ aparece com eles em um hotel na Alemanha.

Tenho 2 filhos biológicos, planejados, e adoraria adotar mais um. Não o fiz ainda porque estou exausta de cuidar de 2 + Gabi (filha canina), então imagina adicionar outra criança. Acho que não tenho mais energia, mas vontade tenho.

Bjs

Jane disse...

Concordo contigo.As especulações ficam por conta de quem quer o dinheiro que acompanha as crianças,senão não estavam nem aí para elas...
Mas o que mais me incomoda é saber que AINDA NÃO enterraram o Michael.Que fim triste.
bjks

Mamis disse...

Exposição e exploração desnecessária das crianças! Pai e mãe são aqueles que criam com amor! bjs

Mamis disse...

Exposição e exploração desnecessária das crianças! Pai e mãe são aqueles que criam com amor! bjs

Elis (Coisas de Lily) disse...

Ainda nao tinha lido esse seu post. Assino embaixo.
Michael podia ter seus defeitos, mas sempre mostrou carinho e atenção com os filhos, a sua maneira, claro...mas era um bom pai sim.

beijos!